Pular para o conteúdo principal

Presidente parlamentarista

Na quinta-feira, quando ouvir o presidente Michel Temer falar que fazia um governo presidencial com características de parlamentarismo, confesso que a minha vontade foi quebrar a televisão. Pelo menos teria a sensação de dar um soco neste senhor.... que está brincando de ser presidente e apresenta na verdade, não características de parlamentarista, mais de um ditador que faz de tudo para se manter no poder, inclusive convocando as Forças Armadas para reprimir manifestação popular.
Se de fato vivêssemos num regime parlamentarista ou que pelo ao menos tivéssemos as características parlamentarista e nossos políticos, homens públicos, fossem sérios e comprometidos com o país e com o bem comum, todos renunciaram seus cargos.
Pelo menos este deveria ser o gesto de um presidente que, claramente não tem mais credibilidade para governar o país. Perde apoio a cada dia e a cada dia fica mais evidente que é um dos corruptos.
Fui contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, pois vi na ação do Congresso Nacional uma ação meramente política, pois lhe faltaram articulação política e o bom senso de romper com os petistas e com as propostas políticas de poder. Se tivesse feito isto, talvez pudesse fazer um governo de coalizão, salvar seu governo e manter os avanços sociais que estão correndo risco de retroceder ao início do Século XIX.
No entanto, fui a favor de seu afastamento da presidência, pois não havia mais condições de governar. Ela havia perdido apoio no Congresso Nacional, no meio empresarial e de um grande número da população.
Vejo que o presidente Michel Temer está na mesma situação. Apesar dos empresários e grupos econômicos e os tucanos defenderem a reforma trabalhista e da previdência, não manifestam apoio ao presidente e alguns líderes destes segmentos já pediram seu afastamento da presidência.
Isolado, mantendo-se no cargo por acordos políticos que passa por salvar a pele de corruptos em troca do salvamento da sua, Temer vai governando e representando o país no exterior, cometendo gafes e dando declarações que se ficasse calado já estaria errado.
Se me perguntar se sou contra Temer, a resposta é sim. Como posso ter um presidente que não tem representatividade, que troca apoio por cargos e para salvar sua pele e de corruptos como Aécio Neves e outros, que convoca as Forças Armadas para reprimir uma manifestação popular contra reformas trabalhista e da previdência, que recebe em sua residência oficial um empresário processado e ainda com nome falso para não ser reconhecido, que diz que não fez, não falou e não usou e depois desmente sua declaração afirmando que falou, fez e usou.
Se este é o presidente que governa com características de parlamentarismo, então, seja honesto e justo consigo mesmo e renuncie.

Afinal de contas, se renunciar ao cargo de presidente, o que pode acontecer... apenas ser preso.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diretório do PSL em Petrópolis foi dissolvido

Na manhã de hoje, recebi mensagem do deputado federal do PSL, Daniel Silveira, informou que o diretório municipal do partido na cidade foi dissolvido e que ele passou a ter plenos poderes na executiva municipal.

O deputado me informou que a decisão foi tomada durante uma conversa com o senador Flávio Bolsonaro que orientou a tomar esta decisão, dando-lhe plenos poderes para organizar o partido na cidade.

Do diretório anterior, apenas Octávio Sampaio, que era o presidente foi mantido e vai ajudar o deputado a reconstruir a direção municipal do PSL.

Carta do vereador Paulo Igor

Às famílias Petropolitanas,

Não posso me calar diante do personagem (vilão) que tentam construir sobre minha pessoa. Acusações descabidas, matérias tendenciosas e excesso daqueles que deveriam ser responsáveis pelo equilíbrio.

Tenho me mantido de forma reservada em especial para preservar a minha família. Porém a necessidade de protagonismo de alguns poderes constituídos, a falta de responsabilidade de parte da imprensa em checar o que se divulga e até mesmo a ganância pelo poder por parte daqueles que mentem e não medem consequências por seus atos e falsos testemunhos me fazem me manifestar publicamente.

Construí minha carreira política pautada no diálogo franco e direto com os eleitores e com a classe política. Sempre soube que, para o fiel exercício do meu mandato parlamentar, era importante ter uma boa interlocução política, ou seja, era fundamental estar sempre aberto a ouvir, dialogar e assim encontrar o equilíbrio e o consenso. Nada é possível sem consenso. Sem consenso o qu…

Partido Novo enfrenta problemas pós eleição

De acordo com uma fonte, o partido Novo no Estado do Rio está rachado e o motivo seria a entrada de militantes da esquerda que agora se dizem da direita.

O partido Novo está sofrendo um problema que outras siglas já passaram e estão passando, com militantes políticos, sem nenhuma afinidade partidária, afinidade apenas com o poder (governo) buscam espaço político de olho num futuro próximo ou distante.

Este racha e a entrada de militantes da esquerda trouxe a tona outra questão: o partido surgiu para apresentar algo de fato novo em busca de mudança política, ou para atender o ego político de João Amoêdo, financiador e idealizador do partido Novo.

Na eleição para presidente, Amoêdo ficou em quinto lugar com 2.679.745 votos e no Estado do Rio em sexto com 139.208 mil votos.

Agora é esperar para ver se os deputados e o governador de Minas Gerais eleitos vão de fato apresentar o novo ou será um novo/velho.