Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2019

Partido Novo enfrenta problemas pós eleição

De acordo com uma fonte, o partido Novo no Estado do Rio está rachado e o motivo seria a entrada de militantes da esquerda que agora se dizem da direita.

O partido Novo está sofrendo um problema que outras siglas já passaram e estão passando, com militantes políticos, sem nenhuma afinidade partidária, afinidade apenas com o poder (governo) buscam espaço político de olho num futuro próximo ou distante.

Este racha e a entrada de militantes da esquerda trouxe a tona outra questão: o partido surgiu para apresentar algo de fato novo em busca de mudança política, ou para atender o ego político de João Amoêdo, financiador e idealizador do partido Novo.

Na eleição para presidente, Amoêdo ficou em quinto lugar com 2.679.745 votos e no Estado do Rio em sexto com 139.208 mil votos.

Agora é esperar para ver se os deputados e o governador de Minas Gerais eleitos vão de fato apresentar o novo ou será um novo/velho.

Câmara dividida pode prejudicar aprovação de projetos

Nos últimos dias tem ficado evidente que o presidente da Câmara, vereador Roni Medeiros (PTB), mesmo com todo seu esforço, não consegue unir os vereadores e nem ser uma voz de consenso entre seus pares.

Os motivos são muitos e não falta reclamação de assessores e vereadores. A última foi uma decisão tomada em nome da Mesa Diretora e depois retirada, ordenando o Departamento Jurídico da Câmara para entrar com um agravo de instrumento, que segundo informações iria contra a decisão que determinou a posse dos suplentes.

Esta decisão acirrou os ânimos entre os vereadores e na semana passada, o vereador Jamil Sabrá (PDT) usou a tribuna para cobrar uma explicação, pois segundo ele, vários membros da Mesa Diretora não tinham conhecimento da decisão. Os suplentes que assumiram o cargo de vereador também se manifestaram e cobram uma explicação do presidente.

Este fato mostrou que há uma divisão na Câmara, o que pode inclusive prejudicar a aprovação de projetos importantes para o Governo Bernard…

O juiz, a caneta e o governo

Recentemente nas redes sociais li críticas ao ministro da Justiça, o ex-juiz Sergio Moro, ao governador do Rio de Janeiro, o ex-juiz Wilson Witzel e ao governo do presidente da República Federativa do Brasil, o capitão e ex-deputado federal Jair Bolsonaro.

As criticas que li partiam de aliados e simpatizantes deles que se mostravam decepcionados com suas atitudes nestes apenas dois meses de governo. A principal crítica é a falta de atitude e empenho para dar solução a questões que, segundo estas pessoas, bastaria uma canetada dos três sem conversa com políticos.

Ao ministro Sérgio Moro foram criticas por ter separado do pacote anticrime a questão do caixa dois. Tema que envolve muitos políticos. Ao governador por suas declarações, como se fosse ele o salvador de todos os problemas do Estado do Rio e ao presidente, ao modo como utiliza as redes sociais e a interferência de seus filhos no processo político.

A verdade é que, nas conversas que tive com muitos amigos ao longo da campanha e…

Roni Medeiros tem encontro com o governador Wilson Witzel

O presidente da Câmara Municipal Vereador Roni Medeiros (PTB) e o vereador Marcelo Lessa (Solidariedade) tiveram um encontro rápido com o governador Wilson Witzel,  antes da reunião com todos os secretários.
A reunião acontece no Palácio Quitandinha, na manhã do dia 16 de fevereiro.
Roni disse que foi um encontro informal e que voltará a se encontrar com governador para levar as demandas da cidade.  O encontro ainda não tem data para acontecer, mas será no Palácio Laranjeiras.
O vereador Marcelo Lessa encontrou o governador na sexta feira, no Sicomercio quando pediu atenção para os valores de ICMS cobrado no Estado com relação aos demais estados.

A oposição de Lessa ao governo Rossi

O vereador Marcelo Lessa do Solidariedade parece que quer marcar sua passagem pela Câmara Municipal como sendo um parlamentar de oposição ao Governo do Prefeito Bernardo Rossi.

Nas suas falas vem cobrando mais trabalho do prefeito e dos seus secretários. Ao falar sobre a questão do ISS, o vereador não poupou criticas a secretária municipal de Fazenda, lembrando que ela não é de Petrópolis e por isso não tem nenhum compromisso com a cidade.

Se ele mantiver esta postura, daqui a pouco teremos a certeza de que está no partido errado e que deveria ser do PSB, pois parte de seu discurso se assemelha muito as criticas feitas por agentes do ex-governo Rubens Bomtempo.

É importante destacar que o vereador Marcelo Lessa esta fazendo seu papel e com isso vem chamando atenção daqueles que estão descontentes com o Governo Rossi e não são poucos.

Há descontentes inclusive na bancada governista na Câmara Municipal e até dentro do governo, acreditem se quiser.

Vereadores derrubam veto e causam primeira derrota política na Câmara do prefeito

Os vereadores na tarde de hoje (14/02) derrubaram o veto do prefeito Bernardo Rossi as emendas que eles apresentaram ano passado durante a votação da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Os vereadores tomaram esta decisão devido a atitude do prefeito ter vetado todos as emendas de forma conjunta o que dificultou inclusive a discussão dos vereadores sobre cada emenda.

Os vereadores que apresentaram emendas, como Maurinho Branco (PP) e Leandro Azevedo (PSD), agradeceram o apoio de todos na votação que derrubou o veto do prefeito.

Politicamente é a primeira derrota do prefeito Bernardo Rossi na Câmara. Um sinal de que hoje ele não tem mais o controle que tinha antes da Câmara, quando os vereadores, mesmo prejudicando projetos próprios, mantinham o veto.

Alerj: um parlamento decadente

O deputado estadual, Luiz Paulo Correa (PSDB) afirmou hoje, na tribuna da Alerj, que o parlamento está decadente pelo seu comportamento ético e moral.

Para o deputado o que deveria está em discussão nas assembleias legislativas, seja estadual e municipal, deveria está discutindo a ética e a moral na política partidária e nas casas legislativas.

Luiz Paulo fez esta declaração, antes de relatar que, na terça-feira, o deputado estadual, Marcio Pacheco (PSC), numa manobra política retirou um projeto encaminhado pelo governador Wilson Witzel, que na sua avaliação tinha quatro motivos de inconstitucionalidade.

Para o deputado do PSDB ele tinha razão, pois se não tivesse, o deputado Pacheco não iria retirar o projeto.

Luiz Paulo afirmou que viu e continuará vendo diversos projetos vindos com origem do governador e tribunais com quesitos de inconstitucionalidade.

Deputado Chiquinho Brazão defende reforma tributária

O deputado federal Chiquinho Brazão (Avante-RJ) defendeu hoje na Câmara dos Deputados uma reforma tributária com objetivo de trazer mais investimentos para os estados e com isso gerar mais empregos.

O deputado lamentou a discussão sobre a Reforma da Previdência, que na sua opinião tira direitos dos trabalhadores.

Para o deputado é preciso discutir temas que vão contribuir com o desenvolvimento do país e garantir direitos, inclusive ampliá-lo e não medidas que tira direitos.

Jandira Feghali é a nova líder da minoria

A deputado federal Jandira Feghali (PCdoB) é a nova líder da minoria da Câmara dos Deputados e defendeu hoje a importância de mulheres ocuparem espaços de liderança na Câmara e afirma que vai trabalhar para unir a esquerda.

"Nós somos minoria no parlamento, mas essa afirmação de uma mulher na oposição é muito importante. Nós vamos atuar aqui trabalhando pra construir essa unidade desse campo de esquerda, da oposição, na minoria, e também abrir campo pra que qualquer parlamentar, mulher ou homem, que queira se opor à agenda do governo se some a nós."

Emendas sociais rejeitadas pelo prefeito

Um dos temas da pauta de hoje da Câmara Municipal de Vereadores é o veto do prefeito Bernardo Rossi as emendas sociais dos vereadores a Lei Orçamentária Anual (LOA), aprovadas ano passado.

Na sessão de ontem, o vereador Leandro Azevedo (PSD) falou sobre o veto do prefeito as emendas. Ele lembrou que as emendas foram um trabalho grande dos vereadores e não entende porque o prefeito rejeitou todas e ainda fez num único documento, o que cria problemas para os vereadores derrubar ou manter o veto.

Diante desta situação, o vereador falou sobre projeto do governo municipal para modernização do sistema de informatização pública destinando uma verba de R$ 1,775 milhão, retirando verba das seguintes ações: cuidado com acolhimento de idosos R$ 40 mil, acolhimento da pessoa com deficiência, R$ 45 mil, serviço de interprete de libras, 20 mil e do restaurante popular R$ 520 mil.

O o vereador disse que é uma contradição, pois rejeita as emendas sociais e retira verba de serviços e políticas pública…

Governador Wilson Witzel em Petrópolis

O assessor especial do governador Wilson Witzel, Bernardo Santoro confirmou a presença do governador em Petrópolis, no dias 15 e 16 de fevereiro de 2019, quando vai se encontrar com lideranças políticas, prefeitos, empresários e lideranças religiosas da região.

Durante sua permanência em Petrópolis, o governador terá uma agenda cheia, sendo que no sábado, no Palácio do Quitandinha realiza a segunda reunião com todo secretariado do Estado.

A presença do governador em Petrópolis acontece graças a articulação dos petropolitanos Bernardo Santoro e Cleydon Rodrigues, chefe de gabinete do governador.

Quem é o primeiro secretário da Câmara Municipal

Desde a eleição da atual Mesa Diretora da Câmara Municipal de Petrópolis alguns fatos estão me chamando atenção.

Um deles é que até hoje, desde o dia 22 de janeiro de 2019, quando o vereador Jorge Relojão (PRP) foi eleito primeiro secretário da Mesa, o cargo tem sido ocupado pelo vereador Maurinho Branco (PP), primeiro vice-presidente e até pelo vereador Leandro Azevedo (PSD).

O primeiro secretário de fato e de direito, vereador Jorge Relojão até agora nem sentou na cadeira que lhe é por direito.

Há apenas uma conclusão: ele foi eleito apenas para que a Câmara não parasse, já que no dia 22 de janeiro, depois que o vereador Leandro Azevedo retirou sua candidatura, nenhum vereador quis ou podia, no caso dos suplentes, se candidatar para o cargo.

Outro fato interessante é que o primeiro secretário nem se ausenta do plenário para justificar que outro vereador assuma o seu lugar. Ele fica no plenário enquanto um de seus colegas assume o seu lugar e realiza o seu trabalho de secretário da …

Sonegação e queda da receita

Não precisa nenhum especialista afirmar, pois todo mundo sabe que, quando não se emite nota fiscal, é lógico que se está praticando sonegação fiscal.

E o combate a sonegação é feito por meio de fiscalização, que necessita de inteligência, cruzamento de informações, parcerias entre governos e acima de tudo vontade política do governante e do comprometimento da Secretaria Municipal de Fazenda.

Petrópolis há muitos anos sofre com esta contradição: a Prefeitura divulga que a rede hoteleira está ou quase 100% ocupada e o que todos esperam é o aumento da arrecadação, mas na prática isto não acontece e um dos motivos é a falta de emissão de nota fiscal.

O aumento da arrecadação do município depende em parte da emissão de nota fiscal de ISS e ICMs, além é claro do pagamento do IPTU e outras taxas.

Mas, cabe a Prefeitura, via Secretaria Municipal de Fazenda fazer seu trabalho de casa e criar mecanismo para ampliar a fiscalização, incentivar a emissão de nota fiscal e outras medidas necessária…

A imprensa de luto

É lamentável a morte de Ricardo Boechat. Um jornalista que, como poucos era exemplo para muitos. Neste momento é muito triste pensar que o Brasil perde um grande profissional.

Não tenho muito o que dizer, apenas lamentar esta perda como foi dos dez jovens do Flamengo ou das vítimas de Brumadinho.

A perda de alguém, seja em que situação for é sempre trágica e por isso, só posso pedir a Deus o conforto para seus familiares.

Presidente e o crescimento do País

O presidente Jair Bolsonaro divulgou ainda pouco, uma informação da Fundação Getúlio Vargas que aponta o crescimento do Brasil de outubro de 2018 para janeiro de 2019. Isto de fato é importante, pois precisamos ter boas notícias em meio a tantas tragédias e que de fato ser um crescimento real e não apenas números. Como vimos várias vezes no passado.

"Levantamento da FGV aponta que o Brasil é o país que apresentou maior melhora do clima econômico na América Latina. Saímos de -33,9 em Outubro de 2018 para +3,6 em Janeiro de 2019, um aumento de 240%. Queremos e podemos ainda mais!"

Bolsonaro e a diversidade

O governo do presidente Jair Bolsonaro tem apenas um mês e ainda há muito para acertar, corrigir, planejar e definir. No entanto, uma coisa que acredito ser urgente ao governo e aos seus aliados mais próximos é aprender a conviver com a diversidade de pensamentos e opiniões.

O fato da maioria dos brasileiros terem elegido Bolsonaro presidente, não quer dizer que a maioria concorda com todas as opiniões do governo, ou melhor, de presidente e principalmente de seus ministros.

É preciso ter cautela e prudência diante das diversidades de opiniões, pois, um aliado ou correligionário, ou mesmo simpatizante e até mesmo os fanáticos podem pensar diferente e divergir.

Qual será a atitude?

Esta pessoa, apenas por pensar diferente ou divergir de uma opinião ou atitude tomada será considerada inimiga? Adversária? Simpatizante do PT? Incentivador da esquerda? Comunista? Socialista? Etc, etc?

Acredito que a prudência em determinados momentos, que tem sido uma característica do presidente Jair Bols…

Presidente fala sobre confiabilidade da indústria

O presidente Jair Bolsonaro divulgou ainda pouco mensagem em seu Twitter falando da con fiabilidade da indústria e do comércio.
"Confiabilidade da indústria e comércio crescem em 2019, aquecendo a economia e gerando empregos. Com as implementações dos estudos da Secretaria Geral Adjunta de Desburocratização, Gestão e Governo Digital ligada ao Ministério da Economia, tudo vai melhorar muito mais".

Serei o dedo duro

O deputado federal, Daniel Silveira (PSL) em recente entrevista afirmou que o Congresso Nacional não está preparado para deputados com o seu perfil e por isso, afirma que "serei o dedo duro. vou trazer a público tudo que for contra o povo".

Daniel Silveira disse que, apesar da grande renovação na Câmara dos Deputados, a impressão que dá é que na mudou, pois muitos deputados continuam ainda em busca de acordo por cargos, verbas partidárias e outros acordos.

Ele afirma que é contra esta postura e foi isto e suas propostas que o levou para o Congresso Nacional, "por isso não vou aceitar este tipo de negócio e com outros deputados vamos denunciar".

O deputado federal afirma que os brasileiros querem um país melhor e para que seja de fato e de direito, os políticos precisam agir com ética e "estou lá para fazer a diferente e comigo não tem acordo".

Um país para o futuro

A eleição do presidente Jair Bolsonaro,  a renovação na Câmara dos Deputados e a eleição de governadores que nunca foram políticos não será suficiente para mudar e acabar com a podridão política.

Será preciso alguns anos e que a população continue fiscalizando e derrotando nas urnas os políticos e empresários corruptos.

O fim das comissões provisórias de partido

Muita gente não acredita, mas a política mudou e isto vamos ver nas eleições municipais de 2020, quando muitos partidos terão dificuldade em montar as chapas para vereador.

Os partidos vão se salvar se o Congresso Nacional mudar as regras eleitorais permitindo coligação na eleição proporcional (vereadores) ou criar o sistema distritão, que vai permitir com que cada partido lance qualquer número de candidatos a vereador.

Seja qual for a forma adotada, o certo é que uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai complicar a vida de muitos partidos nos municípios. De acordo com a decisão, os partidos terão que realizar convenção e eleger os diretórios municipais, acabando com as comissões provisórias.

O problema é que a maioria dos partidos são administrados por comissões provisórias e quem não fizer a mudança vai deixar de existir no município.

Na verdade é uma medida que beneficia a população, pois muitos partidos nos municípios nada mais são do que moeda de troca entre os políti…

Em rota de colisão

A decisão do vereador Fred Procópio (PSDB) em se firmar no cargo e para isto necessita que a Câmara casse o mandato do vereador Luiz Eduardo (Dudu), o colocando em rota de colisão com os seus pares.

Na quinta-feira, o vereador Marcio Arruda (PR) deixou isto claro ao reclamar da forma como foi citado na decisão do juiz da 4ª Vara Cível de Petrópolis, Jorge Luiz Martins Alves, na ação de autoria do vereador Fred pedindo para que a votação do processo de cassação fosse com voto aberto e não secreto.

Arruda reclamou e disse que Fred foi desleal, pois desde o inicio do processo tentou ajudá-lo e como presidente do Conselho de Ética havia decidido que as reuniões eram abertas a imprensa e a todos os vereadores e que era a favor do voto aberto, apesar do Regimento Interno da Câmara determinar voto secreto. Manifestando ainda que votaria pela cassação do vereador Dudu.

O vereador Fred Procópio afirmou que na sua pedição não faz referência ao vereador Arruda e que não teve nada haver com a for…

Defesa afirma que vai provar inocência do vereador Dudu

Para o advogado João Francisco este é mais um passo dado para que o vereador Dudu possa retomar seu mandato, afirmando que até a presente data, o Tribunal de Justiça ainda não aceitou as denúncias apresentadas pelo Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ).

“A decisão do desembargador foi justa e tenho certeza que será mantida pelo colegiado, pois o vereador não compareceu as sessões porque foi afastado pela Justiça. Em nenhum momento se ausentou das sessões por vontade própria”, afirma o advogado.

Na avaliação da defesa do vereador, o juiz de primeira instância não poderia determinar a abertura de processo de cassação argumentando as faltas, “pois o vereador está afastado. O que vimos é uma interferência do judiciário no Legislativo”.

Desde o início do processo, o advogado João Francisco sustenta que a decisão de afastamento do vereador foi descabida, frisando que até o momento “o Ministério Público não tem nada contra o meu cliente e vamos provar isto. Tenho certeza que ele vai ter…

Cassação de Dudu adiada com decisão judicial

O desembargador Jaime Dias Pinheiro Filho, da 12º Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) suspendeu a votação do processo de cassação do vereador Luiz Eduardo (Dudu), que aconteceria, na quarta-feira, 6 de fevereiro. Com esta decisão, o processo fica suspenso sem data para ser votado pelos vereadores até o julgamento do mérito dos recursos apresentados pela Câmara Municipal e pela defesa do vereador Dudu.

Na decisão, o desembargador Jaime Dias Pinheiro Filho deixa claro que, as faltas do vereador às sessões legislativas desde o dia 12 de abril do ano passado, não podem ser usadas como justificativa para sua cassação. Ele afirma que Dudu não compareceu às sessões, pois uma decisão judicial da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) determinou seu afastamento.

Além do agravo apresentado pela defesa do vereador, a Câmara Municipal, por meio de seu departamento jurídico também apresentou um agravo pedindo a reconsideração da deci…