sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Parte II - A imprensa e a relação com a Câmara

Na manhã de hoje, tomei conhecimento, que ontem à noite, a Câmara Municipal de Petrópolis decidiu não mais restringir o acesso de jornalista ao prédio do Legislativo.

A única observação é que a Assessoria de Comunicação seja comunicada da presença dos jornalistas, o que não vejo problema nenhum e até um sinal de respeito.

Esta decisão da direção da Câmara foi tomada por iniciativa do presidente, vereador Roni Medeiros mantendo assim, como disse em nota publicada ontem, o relacionamento harmonioso da Câmara com a imprensa petropolitana.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

A imprensa e a relação com a Câmara

Tomei conhecimento hoje que dois colegas da imprensa petropolitana tiveram acesso restrito na Câmara Municipal de Petrópolis. Uma foi a equipe da InterTv e outro foi o jornalista do Diário de Petrópolis.

Achei estranho, pois este procedimento não condiz com a tradição da Câmara na sua relação com a imprensa, que sempre foi harmoniosa, mesmo em momentos de divergência devido a matérias publicadas.

Este é um fato que não aconteceu comigo, pois, na manhã de hoje (17/01) fui a Câmara e, após me identificar, tive acesso as dependências da Câmara. No entanto, não posso deixar de manifestar minha surpresa e tristeza, pois em 20 anos fazendo cobertura na Câmara é a primeira vez que presencio ou tomo conhecimento de uma restrição.

É compreensível que a direção da Câmara Municipal queira estabelecer regras para que as pessoas possam acessar as dependências. No entanto, é importante que fique claro qual o objetivo e quais os procedimentos que a imprensa terá que ter para ter acesso as dependências e realizar seu trabalho como sempre fez.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Porte de arma e a Educação

A decisão do presidente Jair Bolsonaro em flexibilizar a posse de armas no país, mantém a sua coerência com seu discurso antes, durante e pós-campanha eleitoral. Pelo menos neste quesito, ninguém pode questionar, pois ele sempre defendeu o porte de arma, argumentando que o cidadão é livre para escolher se quer ou não ter uma arma em casa para sua defesa.

No entanto, como seria bom ver o mesmo empenho do governo Bolsonaro na área da Educação e Saúde, onde precisamos de investimentos e mudanças importantes para garantir um sistema de qualidade e eficiente para população.

A meu ver, a principal bandeira do governo Bolsonaro, além é claro das questões econômicos para tirar o país da crise em que está há mais de cinco anos, deveria ser a Educação. Até porque, um cidadão bem formado, será uma pessoa consciente de seus deveres e direitos e baseado nos princípios eterno do bem e do mal, do que é certo e errado, terá todas as condições para decidir se quer ou não ter uma arma em casa.

A Educação, com um sistema educacional eficiente e de qualidade, que seja universal, atendendo a todos os brasileiros, não excluindo ninguém, é capaz a longo e médio prazo reduzir a violência no país. Desta maneira, não apenas atenderá à classe média, mas também aqueles que vivem nas periferias da cidade e muitas vezes são discriminados por viverem em comunidades pobres, identificadas como “morros”, “favelas”, etc.

Permitir a posse de arma sem investir em formação é a possibilidade de abrir as portas para consequências que somente o futuro nos dirá. Mas, que, num país sem formação, com uma população acuada, com medo de assalto, assassinatos, apavorada com o crescimento da violência e do tráfico de drogas, podemos imaginar ou temer a morte de inocentes, simplesmente pelo fato de estarmos com medo.

Precisamos armar o cidadão brasileiro com uma boa educação, garantindo a ele emprego e uma vida com qualidade. Armar o brasileiro com os verdadeiros valores, tendo consciência de seus direitos e deveres.

A arma de fogo ou qualquer outra não deve ser uma prioridade de governo, mas é uma resposta do candidato Jair Bolsonaro aos seus eleitores. Estes eleitores deverão mostrar ao presidente Bolsonaro, que porte de armar não é igual ao aumento da violência e morte por armas de fogo.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Vereador pode perder espaço no Governo

Se for confirmada a postura do Governo Municipal em fechar as portas para o vereador Fred Procópio, reduzindo sua influência na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a bancada de oposição pode aumentar.
No momento, o vereador Fred Procópio apóia o Governo Rossi e tem votado tudo com a bancada governista. Ele já demonstrou que tem disposição para fazer oposição e se tomar esta postura vai alegrar muitos de seus eleitores insatisfeitos com o Governo e o próprio PSDB.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Na defesa da cultura

O Governo Municipal inicia 2019 fazendo uma mudança em seu primeiro escalão. No entanto, a mudança de diretor-presidente no Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), não agradou a maioria dos artistas e produtores culturais de Petrópolis.

Na avaliação deles, que deveria assumir o IMCE deveria ser alguém da cultura ou uma pessoa neutra, que não estivesse comprometido com a administração municipal e muito menos com o turismo.

Para alguns artistas, como me confidenciou um, o IMCE está correndo o risco de se transformar num braço da Turispetro, responsável por promover o turismo na cidade.

Para os artistas a cultura não pode e não deve ser vista como mais um serviço para o turismo, mas deve ser vista como algo da cidade a ser oferecida aos petropolitanos e para os visitantes, mas fundamentalmente para o resgate cultural da cidade.